sinto um aperto , um nó no estômago, sinto o meu coração aos bocadinhos. sinto tristeza. sinto solidão. sinto sufoco. é difícil respirar, e já me é difícil sentir as mãos e as pernas. levas-me a alma sempre que queres, sempre que te apetece sem me me pedir permissão, e eu não consigo perceber a forma como consegues domar assim os meus sentimentos , a minha alma, porque nem eu própria os consigo controlar. arrancaste-me o coração a sangue frio, sem dó nem piedade. esqueceste-te de tudo o que passámos, eu já nao vaguei-o na tua memória, eu já nao vivo no teu pensamento, eu já nao faço mais parte da tua alma, eu já nao pertenço mais ao teu coração. mas eu já aprendi que o que tem que ir vai, que o que tem que ficar , fica. já aprendi que quem não me procura, não sente a minha falta. e é estranho o meu coração insistir em ainda te querer, depois de tudo o que me fizeste passar.

quantas vezes nao fazemos coisas erradas, achando que são certas? e quantas vezes não amamos a pessoa errada , pensando que é  a certa?

4 comentários:

Maria Inês disse...

adorei, adorei. identifiquei-me tanto.

ana disse...

tens toda a razão! também me sinto assim por vezes, não é nada bom :c força *

ana disse...

de nada, tens que ser forte*

beatriz disse...

essa imagem diz tudo, tudo